Album de Fotos Polícia

Domingo, 30 de abril de 2017 ás 01:14:00

Estupro de Assu: professora de inglês acusa dentista

Há três anos, no dia 28 de abril de 2014, a professora de inglês Kariene Karla Soares, então 22 anos, lembra que foi estuprada e acusa o cirurgião-dentista Jovane Pereira Dantas Wanderley, 48 anos, de ter sido o autor da violência sexual dentro da piscina da casa dele, em Assu, a 270 km de Natal, a capital do Estado. 

Os dois travam uma “guerra” pelo Facebook com acusações de ambos os lados, onde  Kariane denuncia o dentista pela violência sexual e a sua mulher, a também cirurgiã-dentista Andrea Dantas, de ser cúmplice no crime.

No dia 28 de abril passado, a Kariane publicou novo vídeo na sua página do Facebook (Karin Gilligan - Pelo Fim da Cultura do Estupro) com acusações contra Jovane. Assista o vídeo, clique aqui!

O dentista, dono de duas clínicas odontológicas, uma em Assu e outra em Natal, se defende e acusa Kariene de inventar o estupro e chama a vítima de prostituta numa mensagem no Facebook.

No dia 29 de abril, o dentista Jovane concedeu entrevista em vídeo para o site Natalfotosefatos e deu sua versão, negando o estupro. Assista o vídeo, clique aqui!

O processo já passou pelas mãos de duas juízas, Nivalda Neco Torquato Lopes e Suzana Paula de Araujo Dantas Correia, e atualmente está com o juiz Marivaldo Dantas de Araujo, que responde pela Vara Criminal da Comarca de Assu.

No próximo dia 24 de maio de 2017, às 16 horas, estava marcada uma nova audiência para ouvir um médico legista do ITEP (Instituto Técnico de Polícia), de Mossoró, e a mulher do dentista, a pedido da 3º. Promotoria de Justiça do Ministério Público Estadual de Assu, mas a mesma foi adiada para o dia 19 de julho, a pedido do advogado da professora.

Segundo Kariene, no inicio do processo, o promotor Daniel Lopes tinha conseguido retirar a mulher do acusado da peça acusatória, mesmo depois que ela foi denunciada no inquérito policial.

Os delegados Carlos Brandão e Helder Carvalhal da Policia Civil de Assu investigaram o crime denunciado pela professora. No dia 24 de maio de 2014 concluíram o inquérito, denunciando Jovane e Andrea pelo crime de estupro (Art. 213 do Código Penal Brasileiro), que prevê reclusão de 6 a 10 anos.

O indiciamento dos dentistas se deu com base aos depoimentos da vítima, de testemunhas e de laudos técnicos. Nas considerações finais, os delegados que assinam a peça investigava da Policia Civil de Assu afirmam que a “materialidade e a autoria delitiva” estão suficientemente caracterizadas em relação aos investigados.

“A Condenação se impõe, não havendo que se cogitar acerca da aplicação do princípio ‘in dúbio pro reo’”, escreveu o delegado, usando a expressão latina que significa que na dúvida, a sentença deva ser a favor do réu.

No inquérito, os delegados pediram a condenação do acusado e a não aplicação do “in dúbio pro reo”, que expressa o princípio jurídico da presunção da inocência do réu em casos de dúvidas diante de insuficiência de provas.

“Ressalta-se que o crime de estupro é configurado mesmo que não haja penetração”, afirmou o delegado Brandão numa entrevista ao jornal Mossoroense Hoje, em março de 2017.

A juíza da Vara Criminal da Comarca de Assu na época, Nivalda Neco Torquato Lopes, aceitou a denúncia em 22 de julho de 2014.

Segundo explicação da Vara Criminal de Assu, depois dessa audiência de julho, teoricamente, o processo volta para o ministério Público para as alegações finais das partes e depois, se não houver mais nenhum pedido da vítima ou do acusado, o juiz dá a sentença.

O processo corre em segredo de Justiça, mas na prática o crime é de conhecimento de todos em Assu, uma pequena cidade do interior do Rio Grande do Norte, que tem cerca de 60 mil habitantes, cuja economia se baseia na indústria cerâmica, com fabricação de telhas e tijolos.

A professora Kariene Karla Avelino Soares, na época com 22 anos, acusa o cirurgião-dentista Jovane Dantas de tê-la estuprado na piscina da casa dele no dia 28 de abril de 2014, com o conhecimento da mulher, Andréa Dantas.

A VERSÃO DA HISTÓRIA DA PROFESSORA

Abaixo o relato de Kariene para o estupro que ela afirma ter sofrido na piscina da casa do dentista em Assu.

“‘Fui estuprada há 3 anos por um dentista na minha cidade de ASSU. Eu ensinava a mulher dele por 7 ou 8 meses. Ela começou a me convidar para um banho de piscina, que eu sempre recusava porque trabalhava bastante e, quando chegava à noite, queria ficar com meu filho.

Enfim, dia 28 de Abril de 2014, eu aceitei esse banho de piscina depois da aula. Tenho que lembrar que antes da aula começar, ela tinha dito pra mim que tinha sido o aniversário do marido dela e ela iria contratar uma prostituta de presente pra ele.

Eu fiquei surpresa, mas continuei minha aula normal. Quando a aula terminou, eu fiquei surpresa com a insistência dela, pois estava chovendo.

Quando entramos na piscina, ela me falou que eu tinha um ‘sex appeal’ enorme e que eu ‘exalava sexo’. Eu novamente achei aquilo muito sinistro, mas não sabia como sair daquela situação.

O marido dela apareceu do nada e pulou na piscina e perguntou sobre o que estávamos conversando e ela falou: ‘estava falando para Kari que ela tem o sex appeal enorme’.

Então ele cheirou meu braço e disse ‘sim’. Fiquei muita constrangida e depois ele voltou e tocou minha perna. Eu chamei a Andréa para perto, mas ela parecia está gostando da situação.

Para quebrar o clima, comecei a falar sobre trabalho. Ela me ofereceu o banheiro eu fui. Entendi como se ela quisesse ficar a sós com o marido. Quando voltei para a piscina, ele se aproximou de mim falando sobre trabalho. Distraiu-me e Andrea saiu pelas minhas costas.

Eu não tinha percebido, de repente, ele diz: ‘Andrea disse que você gostaria de colocar silicone, mas porquê, seus seios são tão lindos’, e baixou a parte de cima do meu biquine e me atacou, arrancou a parte de baixo e me penetrou.

Eu gritava por Andréa, mas ela não veio me ajudar, eu pedia para ele parar. Ele me afogava e me estuprava.

Depois de algum tempo, eu já não tinha mais força para me debater. Eu só esperava que aquilo acabasse. Tudo que vinha a minha cabeça era sair viva e ver meu filho novamente.

Chegou a um ponto que meu choro não cessava, então ele parou, pegou a parte de baixo do meu biquine e me devolveu, e me disse com a cara mais sínica do mundo: ‘você gostou?’

Eu tremia e chorava, eu só falei: isso é errado. Eu temia pela minha vida. Corri para o quarto onde eu ensinava Andrea, e lá estava ela.

O quarto de frente para a piscina com uma janela de vidro. Ela viu tudo. Eu me tremendo e chorando, com a voz falha disse: como você aceita isso? Eu confiava em você.

Ela me disse: ‘nada vai mudar entre a gente, está tudo bem’, com a cara mais irônica do mundo.

Eu já não tinha mais reação, ela me puxou para me dar um banho e eu, por medo que me fizesse algo, deixei. Depois pedi para ir para casa e disse que iria chamar meu moto taxi de confiança, mas ela disse que iria me deixar em casa.

Meu pai me ligou e disse ‘onde você está? Cuidado com esse povo’, como se ele pressentisse algo, mas eu não podia dizer nada, pois ela estava do meu lado.

Ela foi me deixar em casa e seu marido já não estava mais no jardim. Eu chorava em estado de choque. Depois ela me mandou uma mensagem no celular que dizia: ‘fique bem minha amiga, eu gosto muito de você, você é uma pessoa que me faz muito bem e eu não quero perder isso’. Infeliz!

Passei à noite em minha casa, pois sabia que meu pai tem o temperamento estourado e se dissesse a ele na noite, ele teria ido lá e esse dentista possui um arsenal de armas em casa. Às 2 horas da manhã liguei para o meu esposo que esta trabalhando na Inglaterra e ele me orientou a ir à polícia, mas tive muito medo por serem pessoas influentes e perigosas.

Três anos se passaram. Duas outras vítimas vieram adiante. A justiça é cega?”

VÍTIMA ACUSA A MULHER DO DENTISTA DE CÚMPLICE

A professora de inglês acusa a mulher do dentista de cúmplice e afirma que os dois tramaram juntos. Ela conta que não sabia que ele estaria em casa e muito menos iria se juntar as duas na piscina.

“Ela sabia de tudo e agora se faz  de vitima. A esposa dele foi indiciada pelo meu estupro,  ajudou no meu estupro”, afirma Kariene.

“Se eu não tivesse vindo a público denunciar o crime, eu e minha família já teríamos sido vítimas de ‘pistolagem’ em Assu”, afirma a professora, cujo pai, o cabeleireiro, Manuel Junior, ainda mora na cidade.

Ele milita nas causas em defesa dos animais que sofrem maus tratos, além de se empenhar na divulgação do crime que a filha sofreu. Nas redes sociais, Manuel Junior clama por  justiça.

No dia 28 de abril deste ano, ele escreveu na sua página de Facebook:

“Hoje me privei de tudo, até essa data me causa uma tristeza que até hoje eu não sei repassar para pessoas que me pergunta desse SINISTRO.... Nunca deixe minha filha um só dia sem o apoio, pois EXISTEM uma PÁGINA que NUNCA CONSIGO LER, é página q ela relata o que esse estuprador fez com ela... OBRIGADO TODOS VCS COMPARTILHEM ! JUNTO CHEGAREMOS A OBJETIVO, CADEIA NO ESTUPRADOR JOVANE DANTAS E SUA CUMPRISSE ANDRÉA DANTAS”.

O texto foi reproduzido nesta reportagem de acordo como foi publicado, incluindo as letras maiúsculas.

A juíza da Vara Criminal da Comarca de Assu aceitou a denúncia em 22 de julho de 2014.

A atual promotora do caso é Tiffany Mourão Cavalari de Lima, da 3ª. Promotoria de Justiça de Assu.

A professora Kariane hoje reside na Inglaterra com o marido, o inglês Mark Gilligan, e um filho do casal, de 6 anos. Ela não quis revelar a cidade onde mora, afirmando que tem medo de represália.

O dentista nega as acusações e entrou com ações contra a professora por calunia e difamação. A entrevista com ele vem depois da entrevista com a professora.

A ENTREVISTA PARA O SITE NATALFATOSEFOTOS

Antes de completar os três anos do episódio, na última semana de abril deste ano, a professora Kariane deu ao site natalfotosefatos, por meio de e-mail, de sua casa na Inglaterra, uma entrevista comentando o caso e o longo tempo da Justiça para julgar o acusado.

Natalfotosefatos - Como você conheceu o dentista Jovane Dantas e a mulher dele Andréa?

Kariane - Cheguei a ser cliente da Clinica dele e depois de algum tempo recebi mensagens da mulher dele me pedindo pra dar aulas particulares, o que no momento não era muito adequado porque minha carga horária em outras escolas de idiomas estava pesada, mas a insistência foi tanta que ela chegou a oferecer até mais dinheiro. Depois, então, de muita  insistência, cncordei.

Natalfotosefatos - Como foi aquele dia 28 de abril de 2014, quando você afirmar que foi estuprada pelo dentista na casa dele?

Kariane - O pior dia vivido por mim, nunca pensei que a mulher que vinha ensinando a 7 a 8 meses, que parecia tão doce [engana até a um anjo], poderia tramar e fazer parte de um estupro macabro com o seu marido contra minha pessoa.

Natalfotosefatos - Depois do acontecido, como você se sentiu e quando você procurou a polícia para denunciar o seu estuprador?

Kariane - Eu me senti sem chão, em estado de choque, desesperada, pensei até em tirar minha própria vida. Ganhei forças depois que falei com meu marido que estava na Inglaterra e ele me orientou a fazer o correto e denunciar.

Natalfotosefatos - Além de você, tem mais gente que sofreu assédio por parte do dentista?

Kariane - Uma cliente a qual ele tentou colocar o pênis ereto em sua boca, enquanto ela esperava na cadeira de dentista. Vale salientar que isso tá documentado em vídeo na delegacia, no inquérito policial e em juízo, e a outra foi uma estagiaria que foi abusada no seu segundo dia de trabalho (teve seus seios e as partes íntimas tocadas por Jovane Dantas), dono da Dental Clínica, a qual também tem tudo documentado em vídeos seus depoimentos de abusos sexuais sofridos e no inquérito policial. 

Natalfotosefatos - São três anos desde o dia que você afirmar ter sofrido a violência sexual. Como têm sido estes três anos de luta da família para que o acusado seja julgado pela Justiça de Assu?

Kariane - Um inferno, não só fui estuprada como tive minha saúde afetada. Não somente eu,  como meu pai. Infelizmente, o dentista réu de estupro tem muita influência em Assu/RN,  chegando até a coibir que seu indiciamento e sua denúncia pelo Ministério Público por estupro fosse divulgada na mídia local. 

Natalfotosefatos - Por quê você deixou Assu e está morando na Inglaterra?

Kariane - Por ameaças. Corria risco de morte. O próprio Jovane Dantas é um dos melhores atiradores do Rio Grande do Norte,  isso explica o por quê das outras vítimas preferiam fugir de Assu do que denunciar.  Inclusive no dia  23/04/2017 sofri ameaças, difamações e injúrias do dentista Jovane Dantas em minha página do Facebook e está documentado as ameaças e vou anexar a essa entrevista.

Natalfotosefatos - O que você espera da Justiça?

Kariane  - Espero que ela honre o nome que leva e coloque esse estuprador atrás das grades.

Natalfotosefatos  - Como você recebe os processos que o dentista Jovane Dantas está movendo contra a família por calúnia e difamação?

Kariane - Acho que deveria se criar uma lei que impeça pessoas que já foram indiciadas pela policia e denunciadas pelo Ministério Público por estupro qualificado de processar a vítima, porque isso não  passa de outra forma de intimidação e tentativa de coagir as vítimas. Inclusive estamos formulando a lei Kari Gilligan  que impede que um indiciado pela polícia por estupro qualificado e denunciado  pelo Ministério Público por estupro entre com esses processos cíveis contra as vítimas. Deixo Claro que em momento nenhum pedi indenizações ou danos morais pelo estupro sofrido como relata o réu em entrevistas, pelo contrário, ele que pede de meu pai, de  mim e de minha família, chegando a ser constrangedor para a vítima. 

A VERSÃO DOS FATOS PELO DENTISTA JOVANE DANTAS

Depois de ouvir a professora sobre o estupro que ela acusa o cirurgião-dentista de Assu, o site Natalfotosefatos procurou Jovane Dantas pelo telefone em sua clínica, mas a recepcionista informou que ele estava em Natal. No dia 28 de abril, sexta-feira, por telefone, exatamente 3 anos do episódio que é acusado, o dentista aceitou conversar com o site para dar sua versão e marcou a entrevista para o sábado, dia 29 de abril, em seu consultório, na Dental Clínica, no bairro de Ponta Negra.

A Dental Clínica é filial de sua unidade de Assu e há um ano foi instalada em Natal, onde o dentista atende de quinta-feira a sábado, juntamente com sua mulher Andrea e outros dentistas contratados.

Na entrevista, o dentista nega o estupro, mas admite que tocou na professora, nas suas partes íntimas, bem como os dois se beijaram. Antes da gravação da entrevista em vídeo, Jovane chegou a chorar e afirmou que está sendo vítima da professora e do seu pai, "porque já faz três anos que eu e minha esposa estamos sendo achincalhados na internet". 

Confira abaixo a entrevista com o dentista?

Natalfotosefatos - Jovane, você, conhecia Kariene de onde?

Jovane – Kariene foi há alguns meses antes do suposto ocorrido lá na minha clínica, em Assu, para ser paciente nossa. Nós indicamos que ela fizesse alguns tratamentos, de ortondontia e outras coisas mais. Durante esse tratamento algumas funcionarias falaram que ela dava aula particular de inglês para as pessoas , então foi proposto que ela fizesse isso com minha esposa, que gostaria de ter aula de inglês.

Natalfotosefatos - Faz três anos que aconteceu este episodio que ela acusa você de estupro. Qual a sua versão para este fato?

Jovane - Algumas semanas, talvez meses antes, Kariane vinha passando por alguns problemas, depois ela perdeu o emprego porque ela coloca fita gomada na boca de algumas crianças. Depois a gente veio saber quem era a mãe, inclusive. Ela mandava as crianças calarem a boca , como elas não calavam, ela colocava a fita gomada para parar. Por isso ela foi demitida do emprego dela. Ela começou a procurar mais pessoas para dar aula. O namorado dela na época, não era marido ainda, a abandonou, foi para a Inglaterra. E ela começou a ficar numa situação ruim, também financeira, e ai eu estava falando pra ela. Dá uma orientação para Kariene sobre como ela poderia de alguma formar ganhar um pouco mais e tal. Até eu cheguei a dizer assim:  que tal você juntasse pessoas em comunidade, tipo igreja e tudo mais, para dar aula lá. Você não precisaria gastar dinheiro. Ela falou: não, eu quero que você monte uma escola para mim.  Você monta uma escola pra mim, você monta e eu fico administrando esta escola. Eu falei, não, isto não é minha praia. E isto foi acontecendo, aconteceu acho umas duas vezes antes desse tal dia, onde minha esposa havia chamando para tomar um vinho. Realmente elas tomaram vinho e realmente entraram na piscina. E num determinado instante, elas me chamaram sim.  Minha esposa é uma pessoa que tem uma facilidade muito grande de ficar, digamos assim, bêbada, de  se embebedar rapidamente. Então ela saiu para tomar um banho. E na hora que ela dobrou dentro da minha casa para tomar banho, a Kariene, que estava com biquine, ela se levantou e mostrou a parte de trás do corpo dela, que tem uma tatuagem, onde ela disse que era o nome do marido dela em chinês. E ela falou com alguns palavrões, que eu gostaria de não ter que repetir aqui. Ela falou que aquilo era muito legal porque o marido dela fazia tais coisas de quatro nela. E naquele instante eu falei me mostra outra vez. Ela, prontamente, subiu e se levantou e fez isso. E quando ela desceu, nós chegamos sim a nos beijar, nós nos beijamos, eu toquei em algumas partes delas, ela tocou nas minhas partes, não deu mais tempo, por que logo depois dois cachorrinhos nossos que nós criávamos, vieram na frente da minha esposa. Foi quando percebemos que ela estava voltando, cada um foi para o seu devido lugar e acabou.

Natalfotosefatos - Você não a pegou a força ela?

Jovane - Evidente que não, claro que não .

Natalfotosefatos - Não teve o estupro?

Jovane - Nunca na vida. Na verdade, ela nunca nem foi penetrada, nem apertada, nem de alguma forma perturbada. Isto esta em todos os laudos. Os laudos do ITEP dizem que não existem nem vermelhidão na vagina.

Natalfotosefatos - Você está processando ela por calúnia e difamação?

Jovane - Ela está sendo processada por mim, ela está sendo processada por minha esposa. O pai dela Junior está sendo processada por mim, por minha esposa. Todas as pessoas envolvidas nessa situação, que nesses casos são duas pessoas, estamos processando, pessoas que saíram compartilhando mentiras. Estamos processando todos que nós podemos.

Natalfotosefatos - O que você espera da Justiça?

Jovane -Eu espero celeridade. O que eu mais gostaria na minha vida hoje é que isto estivesse terminado. Na verdade que tivesse terminado há muito tempo. Eu gostaria de pedir encarecidamente que a Justiça acelere isso, porque já faz três anos que eu e minha esposa estamos sendo achincalhados na internet. Nós temos sidos destruídos, nós temos dificuldades para dormir hoje em dia. Você sabe o que é todos os dias você ter pessoas invadindo o nosso  Facebook e nos chamando de assassinos, estupradores. Quem eu assassinei, pelo amor de Deus? Eles começaram a dizer que nós tínhamos estuprado 50 pessoas, depois 30, depois, nove, depois três, depois uma. Quer dizer, eles nem sabem o que dizem, na verdade. Tudo tá a nosso favor. Nós tivemos que fazer um trabalho policial, inclusive, demonstrar a profundidade de piscina . O delegado nunca foi ver isso, nós que tivemos que fazer tudo isso. Nós mostramos a profundidade da piscina, nós mostramos as fotos das casas, tudo isso foi mostrado em juízo. Os promotores e juízes estão sendo colocados como as piores pessoas do mundo, por Junior Soares, mas nós acreditamos que eles estão fazendo um bom trabalho, não tenho duvida nenhuma disso. Agora, eu só queria que fosse mais rápido. Eu só queria me livrar disso de uma forma mais rápida, porque tudo está a nosso favor. Eu não tenho dúvida nenhuma que a palavra será: inocente!

(Reportagem Paulo Francisco)

  • /sistema/app/content/img/fotos/1205201701200416f68582003dc450619326a0c4e54921.jpg
    Jovane em seu consultório em Natal durante entrevista ao site Natalfotosefatos
  • /sistema/app/content/img/fotos/12052017012004fc55ef4812a04c00af382f97c02103a3.jpg
    Reprodução de mensagem no Facebook em que Jovane chama Kariene de prostituta
  • /sistema/app/content/img/fotos/120520170123533772685eeff6de88889f1ba1c0347221.jpg
    Kariene acusa o dentista Jovane Dantas de ter a estuprado na casa dele em Assu.
  • /sistema/app/content/img/fotos/12052017012353cb79fec78df796d4a3efedc2a3afe499.jpg
    O pai de Kariene, Manuel Junior, durante manifestação em Assu
  • /sistema/app/content/img/fotos/12052017012437b3dc2e263b564f23ec2ed9244eb27fc7.jpg
    Dental Clínica de Jovane Dantas, em Natal, onde ele deu a entrevista para o site
  • /sistema/app/content/img/fotos/120520170124377a2218181f587454baa47f7fccf3fd0e.jpg
    Andrea Dantas, mulher de Jovane, é acusada de ser cumplice.

Acontece

You have been hacked

Hacked By Bayz21

Passeio de buggy é o mais procurado pelos turistas que visitam Natal

Para os turistas que chegam a Natal sempre fica aquela dúvida de quais passeios a fazer, já que as opções...

Professora que acusa dentista de estupro espera que Justiça o condene

Há três anos, no dia 28 de abril de 2014, a professora de inglês Kariene Karla Soares, então 22...